terça-feira, 23 de agosto de 2016

Precocidade à prova em Concurso de Carcaça Angus no Paraná

concurso_carcaca
Animais extremamente jovens e, mesmo assim, com pesos excelentes e expressivos escores em rendimento marcaram o Concurso de Carcaças Angus realizado durante a programação da 41º Exposição-Feira Agropecuária e Industrial de Guarapuava (Expoguá), no Paraná. O abate, realizado de 8 a 11 de agosto em parceria entre a Associação Brasileira de Angus e CooperAliança, coroou o trabalho do criador Antônio Zancanaro, da Fazenda Rio da Paz, do município de Cascavel. Seus animais atingiram o maior rendimento entre os machos, ao alcançar média de 276 quilos para exemplares de 11 meses de idade e rendimento de 56,67%, totalizando 103,5 pontos.
Entre as fêmeas,vitória para o criador Augustinho Passaúra, do município Turvo. Os animais, com média de 214 quilos para 13 meses de idade, tiveram um rendimento de 54,84%, totalizando 108,33 pontos. O criador também foi vice-campeão no concurso entre os machos com lote que alcançou 95,50 pontos ao obter peso médio de 269 quilos e 12 meses de idade.
A 3º edição do Concurso contou com a participação de 220 animais, sendo 134 machos e 86 fêmeas. A disputa tinha por objetivo uma imersão no frigorífico, onde os criadores podiam avaliar seu trabalho em números direto no gancho. Os ganhadores foram aqueles que obtiveram melhores escores de classificação de carcaças dentro do regramento do Programa Carne Angus Certificada. Os critérios de pontuação eram Idade (Hiper/Super/Precoce), peso de carcaça, acabamento, conformação, rendimento de Carcaças e contusões.

Crédito: Fábio Medeiros

Quais são os países que mais consomem carne bovina do mundo?

O consumo de carnes está relacionado aos padrões de vida, dieta, produção pecuária e preços, bem como às incertezas macroeconômicas e choques ao Produto Interno Bruto (PIB). Comparado com outras commodities, a carne é caracterizada por altos custos de produção e altos preços de produção.
A demanda por carnes está associada com maiores rendas e mudanças – devido à urbanização – no consumo de alimentos que favorecem maiores proteínas de fontes animais na dieta.
Confira abaixo o indicador da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para consumo de carne bovina e de vitelo. O consumo é medido em mil toneladas de peso carcaça e em quilos de peso no varejo per capita. O fator de conversão de peso carcaça para peso varejo é de 0,7.
Confira os dados, referentes a 2015, no gráfico 

E na tabela abaixo:

Autor: AGROLINK

Parque Assis Brasil começa a receber animais para a Expointer 2016


PORTO ALEGRE,RS,BRASIL 20.08.2015: O secretário da Agricultura e Pecuária, Ernani Polo, participou nesta manhã da chegada dos animais no Parque de Exposições Assis Brasil. Foto: Daniela Barcellos/palácio piratini

A cinco dias da abertura dos portões do Parque de Exposições Assis Brasil para a 39ª Expointer, o trabalho é intenso para receber os animais, as grandes atrações de uma das maiores mostras agropecuárias da América Latina. Há ainda novidades no maquinário e nas tecnologias para o produtor rural. A feira começa no próximo sábado (27) e vai até o dia 4 de setembro.
A entrada dos animais de argola será a partir das 8h de segunda-feira (22). Na terça-feira, será das  6h a meia-noite, ocorrendo até sexta-feira.  Os rústicos, que vão à comercialização, poderão ingressar durante todo o período da mostra agropecuária.
Neste ano são 4.285 animais de argola de 156 raças inscritos nas competições. As categorias que registraram maior crescimento são os bovinos de corte, 1,66%, e os bubalinos, 71,43%. A maior redução se deu entre os zebuínos, com queda de 62%. Em 2015, foram 4.758 exemplares de 169 raças. Neste ano são 2.087 rústicos ante os 2.346 que foram levados à feira no ano passado.
Todos os animais deverão estar acompanhados da Guia de Trânsito Animal (GTA) e estar em dia com as exigências sanitárias de acordo com a espécie, lembra o responsável pelos serviços de exposições e feiras da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Pablo Charão. .
A expectativa dos organizadores é de pelo menos repetir os números de 2015, quando a comercialização chegou a R$ 1,70 bilhão.  “Mais uma vez teremos pela frente uma grande feira, onde o melhor de nossa agropecuária estará à mostra, demonstrando também a importância do papel do setor primário na economia gaúcha”, afirmou o secretário da Agricultura, Ernani Polo.
Na avaliação do presidente da Comissão de Exposições e Feiras da Farsul, Francisco Schardong, mesmo num momento de retração da economia, a feira tem por si seu brilho próprio. Segundo ele, a mostra terá reflexos nas 32 grandes exposições que ocorrerão na primavera gaúcha. 
Novidades
Entre as melhorias estão a reforma geral do pavilhão do gado leiteiro, um novo reservatório de água (com capacidade para 50 mil litros), reforma de calhas, telhas e platibandas no Pavilhão do Gado de Corte, e a construção de uma capela ecumênica.
O parque
Localizado a 25 quilômetros de Porto Alegre, o parque foi inaugurado em 1970 e tornou-se sede oficial da Expointer em 1972. Recebeu o nome de Parque de Exposições Assis Brasil em 1977, em homenagem a um dos mais importantes políticos e produtores rurais do estado no começo do século 20.
As três grandes esferas com as cores do Rio Grande do Sul, que se tornaram símbolo da Expointer, foram doadas pelo governo da então Alemanha Ocidental, em 1974.
O local oferece ampla infraestrutura para visitantes e expositores, distribuída em 141 hectares. Conta com 45,3 mil m² de pavilhões cobertos, 70 mil m² de área de exposição, nove espaços para leilões, auditórios, 19 locais para julgamentos, 10 mil vagas para estacionamento, postos médicos, restaurantes, agências bancárias e internet.
Texto: Eliane Iensen Foto: Daniela Barcellos/palácio piratini

sábado, 20 de agosto de 2016

Controle sanitário para entrar na Expointer


As normas sanitárias para ingresso na Expointer 2016 não mudaram desde a última edição. Entretanto, é preciso reforçar aos produtores que irão levar bovinos para a feira que alguns requisitos são fundamentais para evitar o transtorno de não ter um exemplar admitido na exposição.  Além da apresentação de documentos comprobatórios de sanidade, conforme legislação federal, os animais devem estar em boas condições de saúde, sem sinais de doença e livres de parasitas.
Um destes parasitas é o carrapato, que provoca a Tristeza Parasitária Bovina (TPB). Trata-se da doença que mais causa prejuízos ao rebanho bovino no Rio Grande do Sul, com valores estimados em R$ 350 milhões por ano. Um dos entraves para o controle é que o carrapato vem apresentando resistência aos principais produtos para tratamento disponíveis no mercado. “O monitoramento é fundamental para impedir o alastramento do parasita, ainda mais em se tratando de uma feira internacional, como é a Expointer”, alerta Ivo Kohek Júnior, coordenador do Grupo Técnico do Carrapato/TPB na Secretaria da Agricultura.
O GT foi criado este ano pela Seapi , com o objetivo de esclarecer e orientar produtores para que o uso dos produtos disponíveis seja feito da melhor forma.  O grupo, que vai se reunir durante a Expointer, está elaborando um manual com algumas novidades sobre tratamentos e controle. A tristeza parasitária bovina é mais grave no Rio Grande do Sul do que em outros estados brasileiros por conta da presença de gado europeu, que é mais suscetível aos ataques do carrapato, ao contrário dos animais zebuínos que são mais resistentes.
O presidente do Fundesa, Rogério Kerber afirma que sempre em que o assunto sanidade é pauta, o papel do produtor é fundamental. “Por mais políticas públicas que existam, por mais recursos que entidades invistam, se o produtor não tiver a consciência de que precisa aplicar tratamentos e prevenções da forma adequada, o trabalho não será bem feito”.
Um evento internacional sobre o tema, promovido pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS também vai abordar o assunto. O V Fórum de Responsabilidade Técnica e Sanidade na Produção Animal: Os Desafios do Controle do Carrapato será realizado no dia 1º de setembro das 14h às 17h no auditório da Federacite.
É necessário para  o ingresso na feira:
Guia de Trânsito Animal (GTA)
Atestado negativo para tuberculose e brucelose*
Não ter ectoparasitas (ex.: carrapato)
Não ter nenhuma doença infectocontagiosa (ex.: verrugas)
*Válido até o fim da feira
fonte: Correio de Noticias

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Governo lança força-tarefa para tentar reduzir abigeatos no RS

Lançamento da força-tarefa contra abigeatos. Foto: Rodrigo Ziebell/SSP
Um crime pouco falado mas muito cometido, o abigeato (furto de animais de propriedades agrícolas) será alvo de uma força-tarefa das forças policiais gaúchas. Uma força-tarefa foi lançada hoje (19) em Rosário do Sul para combater esse tipo de crime.
Instalada na Polícia Civil de Rosário do Sul, a operação irá atender a sete delegacias de polícia do interior das cidades de Santa Maria, Alegrete, Bagé, Santana do Livramento, Pelotas, Santiago e São Luiz Gonzaga. A atuação será nas regiões de fronteira, abrangendo 60 municípios com maior incidência de crimes rurais.
A equipe será composta por um delegado e sete agentes policiais, além de dois agentes especializados em agropecuária e um veículo, cedido pela Seapi (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação).
Segundo o secretário Wantuir Jacini, esta é uma ação de grande importância porque vai combater uma prática que prejudica e coloca em risco o produtor rural. “Esta força-tarefa tem o foco na investigação do crime organizado. É uma ação integrada em resposta à sociedade”, explicou. A ação faz parte da segunda fase do Plano da Segurança Pública, lançado em junho.
fonte:Plantão RS

Dia de Campo Charolês Figueira


quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Onda Cara Branca EXPOINTER


Terça-feira (30/08)

19:00 horas – 6º Leilão Elite HB (embriões e prenhezes) – Estande ABHB – BOULEVARD – terá transmissão ao vivo pelo Canal Rural X

20:00 horas – Leilão #OndaCaraBranca (Fêmeas registradas) – Estande da ABHB – Virtual e terá transmissão ao vivo pelo Canal Rural X

Quarta-feira (31/08)

18:00 horas – Leilão Prime HB – Pista J do Parque de Exposição Assis Brasil

Marfrig habililitado a exportar para 12 países de três Continentes

O frigorífico Marfrig de Alegrete mantem a alta os abates com uma media de 500 animais por dia.
marfrig
A excelente notícia é de que a planta local está habilitada para exportar par 12 países de três continentes, entre os quais África do Sul, Argélia, China, Egito, Emirados Árabes, Irã, Israel, Russia, União Européia, Cuba, Peru e Venezuela.
Dados do mês de julho são de que o Marfrig passou pela auditoria do Tesco com bom desempenho. E agora, nos próximos meses, vai passar por uma auditorai do Chile.
Com isso, a planta de Alegrete mantem 700 trabalhadores, numa época de recessão em que o agronegócio continua a manter a balança comercial do país e dar retorno de impostos para Alegrete.
fonte: Alegrete tudo

Raça bovina devon terá programa de certificação de carne no país

A raça bovina devon, de origem britânica, será a sétima a ter programa de certificação de carne no Brasil. A iniciativa será apresentada nesta quinta-feira pela Associação Brasileira de Criadores de Devon à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e lançada no dia 1º de setembro, durante a Expointer.
A certificação, que seguirá normas estabelecidas pelo Ministério da Agricultura, costuma resultar em uma remuneração 10% maior na venda de carne aos frigoríficos.
Segundo Simone Bianchini, criadora da raça e uma das coordenadoras do programa de certificação, frigoríficos de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul já demonstraram interesse. O programa, que terá adesão voluntária dos produtores, estabelece critérios para a aplicação do selo de certificação na carne. O padrão racial será controlado por vistorias antes do abate, para averiguar o grau de pureza sanguínea dos animais e, depois, para classificação conforme idade, conformação e acabamento.
Fonte: Zero Hora, resumida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Seminário ANGUS em Esteio EXPOINTER 2016


quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Asbia confirma crescimento de 15,4% da venda de sêmen da Raça Aberdeen Angus

capa2
Dados divulgados pela Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia) indicam aumento de 15,4% na venda de sêmen Angus no Brasil. O relatório contabiliza a comercialização de 4.268.968 doses (Angus e Red​ ​Angus) em 2015 frente a 3.697.501 de 2014. Nos últimos seis anos, a raça teve crescimento de 150%, bem acima da média do gado de corte que ficou em 50%. O resultado, pondera o presidente da Associação Brasileira de Angus, José Roberto Pires Weber, reflete a consolidação da raça na pecuária brasileira e o avanço significativo do cruzamento industrial. “A Angus responde por mais da metade do sêmen de bovinos de corte vendido do país (51%). Estamos em crescimento e isso é reflexo de um trabalho sério e que traz resultados ao pecuarista”, pontuou. Em 2015, as raças de corte negociaram 8.274.084 doses no Brasil. ​
Segundo Weber, mais de 30% das vendas realizadas no país, ou seja, mais de 1,4 milhão de doses são produzidas com genética Nacional, um crescimento de 21%. “Os usuários da genética Angus no Brasil têm tido excelentes resultados com a utilização de sêmen nacional, desmitificando a questão do importado. Hoje, produzimos Angus de excelente qualidade nas cabanhas brasileiras, com a vantagem de ser genética adaptada às condições nacionais de produção e provada em nosso meio ambiente e mercado”​ finalizou o presidente.
​”O crescimento na venda de sêmen expressa os bons resultados que o cruzamento entre Angus e Nelore vem apresentando no Brasil Central”, completou o diretor do Programa Carne Angus, Reynaldo Salvador. Segundo o dirigente, a forte demanda por novilhos Angus jovens e bem terminados por parte da indústria reflete a preferência dos consumidores brasileiros e internacionais pela carne Angus. “No primeiro semestre de 2016, os abates do programa Carne Angus cresceram 38% frente à retração do volume total abatido no país. Isto mostra a forte demanda de nossa carne pelo mercado” complementou o dirigente.​
No primeiro semestre de 2016, a Asbia indica leve retração de vendas com queda de 1% entre as as raças de corte (-1%), um total de 2.662.547 doses nos primeiros seis meses. As maiores compras vieram dos Estados Mato Grosso (22%), Mato Grosso do Sul (16%) e Goiás (11%). O Rio Grande do Sul absorveu 7% das doses. “Não há um único motivo para essa queda nas vendas neste primeiro semestre. São um conjunto de fatores, além de toda a instabilidade econômica que o Brasil vive.”, explica o presidente da Asbia, Carlos Vivacqua Carneiro da Luz, que encerra seu mandato em outubro.
Crédito foto: Fagner Almeida

Eventos Chancelados Angus


Eventos Chancelados Angus


RS: Farsul lança 12ª Feira de Novilhas e Ventres Selecionados da Expointer

A Farsul realizou, hoje (15), o lançamento da XII Feira de Novilhas e Ventres Selecionados. Promovido pela entidade em parceria com Santa Úrsula Remates e Associação Brasileira de Angus, o evento ocorrerá no dia 1 de setembro, quinta-feira, às 17 horas, na Pista J, do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, na Expointer 2016.

Consolidada como o momento certo para repovoar o campo com exemplares selecionados e com fêmeas com prenhes avançada, a feira ofertará mais de 700 exemplares. Conforme o presidente da comissão de Exposições e Feiras da Farsul, Francisco Schardong, a expectativa é superar o faturamento da feira da edição de 2015, de R$ 1,5 milhão.

O presidente do Sistema Farsul, Carlos Sperotto, lembrou que o remate costuma se destacar pela qualidade dos produtos ofertados. “O evento conquistou respeitabilidade pelo seu histórico e pela parceria bem sucedida de anos das entidades envolvidas”, afirmou.

Os produtores poderão adquirir animais com prazos de 30 dias  ou através de financiamentos bancários. Terão à sua disposição uma linha de crédito do Banrisul com juro anual de 13% e prazo de pagamento de dois anos. Conforme o diretor de crédito do banco, Oberdan Celestino de Almeida, o Banrisul financiará toda demanda que houver. Almeida recomendou os produtores interessados a já buscarem junto às agências pré-aprovação de crédito.

A XII Feira de Novilhas e Ventres Selecionados tem o apoio do Governo do Estado, através da Secretaria de Agricultura, e associações das raças Brangus, Devon, Hereford e Braford.



Fonte: Sistema Farsul 

RS: Baixa de preço na carne bovina causa controvérsia

Baixa de preço na carne bovina causa controvérsia - Foto: Mauro Vieira / Agencia RBS

Foto: Divulgação/Assessoria

Frigoríficos garantem ter repassado redução a pontos de venda ao consumidor, mas associação de supermercados alega que queda não foi na proporção prometida 

Anunciada há uma semana, a redução de 20% no preço da carne bovina no Rio Grande do Sul causou desconforto entre indústrias e supermercados. Enquanto os frigoríficos garantem ter repassado o reajuste aos pontos de vendas ao consumidor nos últimos dias, a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) alega que a redução não chegou na proporção prometida.
– O que ocorreram foram promoções pontuais, em alguns cortes apenas – disse Antonio Longo, presidente da Agas.
Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias de Carnes e Derivados do Estado (Sicadergs), Ronei Lauxen, a redução foi repassada e pode ser comprovada nas notas fiscais de venda dos frigoríficos aos supermercados.
– Pode haver alguma variação entre um corte e o outro mas, na média, o reajuste ficou entre 15% e 20%, podemos comprovar isso – garante Lauxen.
A redução foi necessária, segundo o dirigente, para enfrentar a concorrência com carne vinda de fora do Estado e também para aumentar o consumo do produto em período de recessão econômica.

Fonte: Zero Hora, por Joana Colussi 

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Grupo JBS FRIBOI chama a atenção por ação pouco comum no mercado

Matéria do jornal o Estado de São Paulo dá conta de uma ação relâmpago no grupo de empresas JBS FRIBOI que levanta suspeita de especialistas em mercado de que algo pode estar muito errado no grupo. A principal suspeita é de preparação de falência. Será que a tão propagada prosperidade doGrupo Friboi estaria assim comprometida? O que na verdade estaria por trás de decisões pouco comuns no mercado? Será que o Grupo JBS FRIBOI pode ter o mesmo caminho que o grupo comandado por Eike Batista?
Confira a matéria do Jornal O Estado de São Paulo!
A companhia global de alimentos JBS, dona da marca Friboi no Brasil, tem entre seus principais sócios uma empresa chamada Blessed – ou “abençoado”, em inglês. Ela está lá desde 2010. Divide com o Bertin, outro sócio, um fundo que sempre teve uma fatia expressiva da JBS. Na sexta-feira, porém, esse fundo sofreu uma mudança relâmpago dentro da estrutura acionária da JBS, afetando drasticamente a posição das duas empresas.
Ao amanhecer de sexta-feira (29), a Blessed detinha 13% do JBS – algo como R$ 2,8 bilhões, considerando seu valor de mercado no dia. Ao anoitecer, passou a ter 6,6% – R$ 1,4 bilhão. O mesmo ocorreu com o Bertin, cuja participação também caiu pela metade. No jargão do mercado, elas foram diluídas. Mas ganharam pequenas fatias de outras empresas do grupo da família Batista, que controla a JBS, como a Eldorado Celulose.
Pessoas próximas ao Bertin, que pediram para não serem identificadas, contam que a mudança pegou a direção da empresa de surpresa. De fato, uma reestruturação está em curso, mas o processo exige estudos que não foram concluídos. De acordo com o diretor executivo de Relações Institucionais da JBS, Francisco de Assis e Silva, a mudança foi feita “a pedido da CVM”, a Comissão de Valores Mobiliários, o xerife do mercado de capitais. Mas o executivo não soube informar quando e por que o pedido foi feito.
Blessed. A reestruturação relâmpago foi um capítulo a mais na estranha trajetória da Blessed. A empresa tem sede no Estado de Delaware, uma espécie de paraíso fiscal americano, onde as exigências legais para a abertura de negócios são mais flexíveis. Chegou na JBS após a fusão com o frigorífico Bertin, há quatro anos, e está com as famílias Batista e Bertin dentro da estrutura acionária que controla a maior empresa de carnes do mundo. As famílias Bertin e Basita, porém, costumam declarar que não sabem quem é o seu dono, apesar de ela causar conflitos à sociedade.
Desde meados do ano passado, a Blessed é pivô de brigas das duas famílias. Motivou três processos judiciais. Os Bertins chegaram a dizer que a Blessed tinha falsificado suas assinaturas e roubado R$ 1 bilhão deles. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Estadão
FONTE: Canal Gama

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Principais indicadores do mercado do boi – 08-08-2016

Tabela 1. Principais indicadores, Esalq/BM&F, margem bruta, câmbio
05/08/16Diferença
04/Ago29/Jul05/Jul/16
Boi Gordo – Esalq/BM&F à vistaR$ 151,870,55%-1,09%-2,77%
Bezerro – Esalq/BM&F à vistaR$ 1.285,600,56%-0,18%0,18%
Margem bruta na reposiçãoR$ 1.220,260,53%-2,03%-5,69%
Boi Gordo – em dólaresUS$ 47,681,57%0,56%0,42%
DólarR$ 3,19-1,01%-1,64%-3,18%
Fonte: Esalq/BM&F, Bacen, elaboração BeefPoint
O indicador Esalq/BM&FBovespa boi gordo à vista apresentou alta de 0,55%, nessa sexta-feira (05) sendo cotado a R$ 151,87/@. O indicador a prazo foi cotado em R$ 154,88.
Gráfico 1. Indicador Esalq/BM&FBovespa bezerro à vista x margem bruta
O indicador Esalq/BM&F Bezerro apresentou alta de 0,56%, cotado a R$ 1285,60/cabeça nessa sexta-feira (05). A margem bruta na reposição foi de R$ 1220,26 e apresentou alta de 0,53%.
Gráfico 2. Indicador de Esalq/BM&FBovespa boi gordo à vista em dólares e dólar
Na sexta-feira (05), o dólar apresentou baixa de 1,01% e foi cotado em R$ 3,19. O boi gordo em dólares registrou valorização de 1,57%, sendo cotado a US$ 47,68. Verifique as variações ocorridas no gráfico acima.
Tabela 2. Fechamento do mercado futuro em 05/08/16
Vencimento Fechamento Diferença do dia anteriorContratos em abertoContratos negociados 
Ago/16151,960,413.648446 
Set/16153,000,407821.793 
Out/16155,760,4510.524913 
Nov/16156,00-0,151.638123 
Dez/16155,00-0,061.1719 
Jan/17157,13-0,171020 
Fev/17152,63-0,1600 
Mar/17148,97-0,1852810
Abr/17158,680,28720 
Indicador de Preço Disponível do Boi Gordo Esalq/BM&F – Estado de SPIndicador de Preço Disponível do Bezerro Esalq/BM&F – Estado de MS
DataÀ vista
R$/@
A prazo
R$/@
DataÀ vista
R$/cabeça
A prazo
R$/cabeça
28/07/16153,40156,0428/07/161297,621299,99
29/07/16153,54155,5229/07/161287,931290,27
01/08/16152,52156,8201/08/161281,341285,69
02/08/16152,47156,0102/08/161272,301276,42
03/08/16151,82155,5603/08/161272,461276,64
04/08/16151,04154,9204/08/161278,391285,60
05/08/16151,87154,8805/08/161285,601293,54
Fonte: Esalq/BM&F, elaboração BeefPoint.
O contrato futuro do boi gordo para ago/16 apresentou alta de R$ 0,41 e foi negociado a R$ 151,96 em relação ao dia anterior.
Gráfico 3. Indicador Esalq/BM&FBovespa boi gordo à vista x contratos futuros para ago/16
Acesse a tabela completa com as cotações de todas as praças levantadas na seção cotações.
Tabela 3. Atacado da carne bovina
05/08/16Diferença
04/Ago29/Jul05/Jul/16
Traseiro (1×1)R$ 10,000,00%0,00%-2,91%
Dianteiro (1×1)R$ 7,600,00%0,00%-6,17%
Ponta AgulhaR$ 7,600,00%0,00%-3,80%
Equiv. FísicoR$ 145,320,00%0,50%-3,26%
Spread Eq. Físico/Esalq-R$ 6,5514,51%-26,73%R$ 9,53%
Fonte: Boletim Intercarnes, elaboração BeefPoint
No atacado da carne bovina, o equivalente físico foi fechado a R$ 145,32. O spread (diferença) entre os valores da carne no atacado e do indicador do boi gordo foi de -R$ 6,55 e sua variação apresentou baixa de R$ 0,83 no dia. Conforme mostra a tabela acima.
Gráfico 4. Spread Indicador Esalq/BM&FBovespa boi gordo à vista x equivalente físico
O Spread é a diferença entre os valores da carne no atacado e do Indicador do boi gordo. Desta forma, um Spread positivo significa que a carne vendida no atacado está com valor superior ao do boi comprado pela indústria, deixando assim esta margem bruta positiva e oferecendo suporte ou potencial de alta para o Indicador, por exemplo.
fonte: Beef Point